202º Capitulo Geral, OFMCONV | De volta aos trabalhos

A missa das 7h15 de hoje foi presidida por Frei Teofil Petrisor, Ministro provincial da Província de São José Esposo da B.V.M. Na Roménia. Hoje celebramos a comemoração de Maria, Mãe da Igreja; que possamos confiar o caminho dos frades da nossa Ordem à nossa mãe Maria.
   

Frei Jude centrou a homilia no Evangelho das Bem-aventuranças: “Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus” (Mt 5, 8). Com relação aos nossos confrades, não nos pedem para sermos perfeitos funcionários da sagrada liturgia, mas para podermos encontrar o Senhor juntos.
Parabéns ao Frei Michael Zielke, Ministro provincial da Província de São Boaventura, nos Estados Unidos, por seus trinta anos de sacerdócio, e a Frei Stanisław Stój, da Província Santo Antônio e Bem-aventurado Tiago de Strepar, na Polônia (Cracóvia), por sua quarenta e um anos de sacerdócio.
O trabalho começou na Aula com a apresentação de uma nova moção do frei Mariano Golab, o ministro provincial da Província de Santo Antônio e o beato James de Strepar na Polônia (Cracóvia). A Moção não fazia parte do Instrumentum Laboris e, portanto, o Comitê Diretor o intitulou como a Proposta Nº 15. Esta moção pedia a promoção de iniciativas comunitárias para uma vida mais fiel ao nosso carisma. O Capítulo Geral olha para o futuro da nossa Ordem com esperança. Ao mesmo tempo, estimula os Capítulos Provinciais e Custodiais e os Ministros provinciais e Custódios, juntamente com seus Definidores, a discernir seriamente e apoiar as inspirações sinceras dos frades na realização de novas iniciativas de vida e missão motivadas pelo desejo de viver o Evangelho. na corajosa prática da Regra e das Constituições.
O Exator Geral, Frei Wojciech Kulig, e o ex-Secretário Geral, Frei Vincenzo Marcoli, falaram em seguida. Eles apresentaram a moção nº 12, que trata das contribuições jurisdicionais para a solidariedade econômica na Ordem. O Ponto 1 da Moção, o Imposto para a Cúria Geral, será votado mais tarde; há textos alternativos para o Comitê Diretor que ainda precisam ser discutidos. O ponto 2 foi votado e aprovado: a instituição da contribuição anual para o novo e único “Fundo de Solidariedade Fraterna”. Este fundo deve cobrir a ajuda para as despesas de formação, bolsas de estudo e compensar a ajuda geralmente dada através de intenções de massa, que estão agora em declínio acentuado.
Em seguida, o Ecônomo geral, Fr. Nicola Rosa, apresentou a moção nº 13, que dizia respeito a limitar os gastos para o Ministro geral, isoladamente e coletivamente com seu Definitório. Após uma breve discussão, o texto foi aprovado.
O Secretário Geral para a Formação, Frei Louis Panthiruvelil (Índia), abriu a discussão sobre o discipulado franciscano. Primeiro, uma apresentação dos outros membros do Secretariado Geral de Formação: Vice-secretario Frei Franklin Antonio Durán (Venezuela), Frei Zbigniew Wójcik (Cracóvia) e Frei Emanuele Rimoli (Calábria, Itália).
Frei Luís explicou que o discipulado franciscano não é um texto legal. Pelo contrário, é um texto destinado a inspirar e instruir os projetos das casas de formação da Ordem. Ele então resumiu a jornada histórica de trinta e cinco anos que levou ao atual texto do Discipulado Franciscano. Em particular, ao longo dos últimos seis anos, nossos formadores em todo o mundo fizeram sugestões para ajudar a reformular o texto em uma forma que atendesse mais de perto às necessidades de nossos frades trabalhando em formação.
O piso foi aberto para perguntas dos Capitulares sobre como chegou o texto final. Amanhã os Capitulares continuarão a discussão sobre o discipulado franciscano.

Frei Aurelio ERCOLI, Cronista


HOMILIA

O Evangelho de hoje apresenta uma série de oito bem-aventuranças que são um tipo de nova lei para o novo Israel. Como Moisés recebeu a antiga lei sobre uma montanha, Jesus proclama esta nova lei no Sermão da Montanha. Mas estas não são regras tanto quanto objetivos. Este é um jeito muito judaico de falar.
Pecado, por exemplo, no Antigo Testamento é visto como disparar uma flecha e errar o alvo. Conversão não está atingindo a marca. Está se aproximando da marca. Conversão tende a ocorrer em câmera lenta. Muito poucos de nós têm conversões dramáticas, como São Paulo, na estrada para Damasco. A maioria de nós converte um pouco de cada vez. O importante não é necessariamente ser perfeito, mas estar melhorando.
Eu gostaria de acentuar apenas uma das bem-aventuranças. Bem-aventurados os puros de coração, porque eles verão a Deus. O coração da Bíblia é onde se pensa. Se alguém é puro em seus pensamentos, sempre pensando em Deus, então, é claro, veremos a Deus. Isso me lembra de Phil 4,8. O que quer que seja verdadeiro, correto, nobre, puro, adorável e admirável, pense naquelas coisas.
Estamos todos ocupados, e as primeiras coisas que são abandonadas quando estamos muito ocupados em leitura espiritual e meditação. Nós precisamos disso. Os frades que servimos precisam que façamos essas coisas para que possamos ver claramente a Deus e ajudá-los a vê-lo também.

 
Indique a um amigo