202º Capitulo Geral, OFMCONV | A missão das três comunidades de Assis

O presidente da missa de hoje foi Frei Jorge Arturo Dobles, Custódio da Custódia Provincial de Maria, Mãe da Misericórdia na América Central. A missa comemorou São Bonifácio, bispo e mártir. Frei Jorge felicitou a Província de Santa Isabel na Alemanha e os muitos confrades que lá viviam.
   

A homilia de Frei Jude foi sobre a saudação de São Paulo aos anciãos da Igreja de Éfeso. Precisamos aprender a experimentar plenamente nossos sentimentos. Religiosos não devem ser robôs; eles deveriam se permitir sentir, como Jesus Cristo fez.
Desejamos felicidades a Frei José Luis Avedaño, Custódio da Custódia Provincial de Nossa Senhora de Coromoto, na Venezuela, por seu 52º aniversário, e a Frei Józ Basasak, Custódio da Custódia Provincial de São Maximiliano M. Kolbe, no Canadá, por sua 43ª. aniversário do sacerdócio.
Frei Miljenko Hontic, da Província de São Jerônimo, na Croácia, apresentou a Moção Nº 6. A Moção pede que a pastoral juvenil e vocacional seja inserida no Plano de 06 Anos da Ordem. O propósito da moção é promover o trabalho pastoral com os jovens após o Sínodo dos Bispos para Jovens, Fé e Discernimento Vocacional. Espera-se também que cada jurisdição identifique um Definidor ou um Delegado da Província ou Custódia para que as atividades nesse campo possam ser mais concretamente animadas. Além disso, pode-se supor que o Secretariado Geral para a Formação, com um de seus membros, trabalhe em tempo parcial na pastoral juvenil e vocacional. Depois de uma ampla discussão, os capitulares aprovaram a moção.
Em seguida, os Capitulares avançaram para a Moção nº 7. Nele, o Capítulo Geral ordena ao Ministro geral que, com seu Definitório, proceda à revisão do Diretório para a Celebração do Capítulo Geral e do Diretório para a Celebração do Provincial e Capítulo Custodial. Uma apresentação foi feita por Frei James McCurry, Ministro provincial da Província de Nossa Senhora dos Anjos, nos EUA. Uma revisão do Diretório foi solicitada à luz das Constituições recentemente aprovadas e dos novos Estatutos Gerais. Além disso, foi estimulado pela experiência dos Capítulos Provinciais nos últimos anos. Particularmente para Jurisdições maiores, realizar uma assembléia fraterna antes do início do Capítulo provou ser muito útil. A moção foi aprovada por uma grande maioria.
A moção nº 8 foi discutida, que trata da revisão do Estatuto Especial para a Custódia Geral do Sagrado Convento de São Francisco em Assis. O Custódio de Assis, Frei Mauro Gambetti, apresentou a Moção. Suas principais questões dizem respeito à missão das três comunidades de Assis (Convento Sagrado, Franciscanum e Rivotorto), o privilégio de sua \"dupla pertença\" e seu Capítulo Custodial.
Acima de tudo, a natureza especial do Convento Sagrado, que contém as relíquias de São Francisco, foi reafirmada. A Custódia também quer oferecer aos frades uma oportunidade de fazer um curso de formação carismática que esteja de acordo com o documento da Custódia, “Propositum Vitae”. O curso proporcionaria uma experiência de vida em fraternidade, serviço e estudo por um período específico.
O convento de Rivotorto, além de servir à paróquia, é um lar para a espiritualidade franciscana. É caracterizada por um estilo franciscano que recaptura os valores de viver no “Tugurio” (casebre) como São Francisco fez uma vez. Oferece hospitalidade para a formação dos frades e acolhe os peregrinos, especialmente os jovens.
A comunidade do Franciscana é caracterizada pela hospitalidade e atividade educativa dirigida aos frades; por acolher frades engajados em programas de formação permanente; e para atividades realizadas como parte do “Espírito de Assis”.
Os Delegados são eleitos na proporção de um em cada quatro frades que participam do Capítulo Custodial, segundo o sistema de delegados do convento e da Custódia. O Vigário Custodial e o Vigário do Sagrado Convento podem ser dois frades diferentes, conforme a necessidade e a gravidade dos compromissos envolvidos.
Tendo já votado duzentas vezes hoje, a discussão sobre o Estatuto do Sagrado Convento foi suspensa e o iuxta modum deverá continuar com o texto dos Estatutos Gerais.
Foi aprovada uma mudança que determinou as formas de contribuição das Províncias e Custódias para o fundo fraterno de solidariedade, levando em conta o compromisso econômico que elas já mantêm para apoiar suas missões e formação.
O Capítulo Geral solicitou então o relatório do Delegado Geral para as Comunicações, incluindo as estatísticas da Ordem. Os Capitulares consideraram este relatório necessário para fazer uma avaliação completa do sexênio.
Foi aprovado um texto sobre casas filiais que podem ser suprimidas após um tempo fixo. Em casos excepcionais, a casa filial poderá permanecer como está, além desses limites, por decisão do Ministro provincial com o consentimento de seu Definitório.
Cada coetus, durante suas sessões, pode conceder aos auditores e consultores do Capítulo Geral o direito de falar e votar.
Finalmente, uma mudança foi feita no texto da Moção Nº 2 pedindo ao Governo da Ordem que treinasse e preparasse novos acadêmicos, bem como professores e animadores, para os nossos centros de formação.
O trabalho de hoje na Aula foi concluído e será retomado na sexta-feira. Quinta-feira, os capitulares dedicam o dia a uma peregrinação a Cortona, na Itália.

Frei Aurelio Ercoli, Cronista



HOMILIA

Na Primeira Leitura, sobre como Paulo se afasta de seu encontro com os anciãos de Éfeso, em Mileto, para ir a Jerusalém. Todos eles sabem que nunca mais o verão nesta terra. Todos choram quando enviam Paulo em seu caminho.
Nos capítulos, fazemos mudanças de onde os frades viverão e o que farão. Em um nível, um pouco de mudança é sempre bom para que não nos tornemos estáveis ​​demais em nossos caminhos. Mas as partidas sempre carregam um pouco de tristeza. Faz parte do nosso espírito de desapego, nosso voto de viver sine proprio, mas ainda dói.
Isso nos desafia a meditar no lugar da emoção em nossa vida espiritual. Podemos chorar no Senhor, como Jesus fez na morte de Lázaro? Podemos nos alegrar no Senhor, como Maria e José fizeram no nascimento do seu Filho? Podemos expressar nossas dúvidas para chegar a uma fé mais profunda como Thomas fez?
Ser franciscano não significa viver sem emoção, sem vitalidade. Um poeta americano disse que somos chamados a sugar o tutano dos ossos da vida. Que nossas emoções se transformem em uma forma de oração em que nos elevamos a nós mesmos até o Senhor.

 
Indique a um amigo